Novo diretor da PF decide trocar comando de setor que investiga Bolsonaro

Um dos motivos alegados pelo ex-ministro da Justiça e presidenciável Sérgio Moro para romper com Bolsonaro, foi a interferência na Polícia Federal para proteger parentes e aliados. O presidente trocou de delegados quatro vezes.

A primeira substituição foi quando Moro pediu demissão. Maurício Valeixo, Indicado pelo então ministro Sérgio Moro, ficou no cargo de janeiro de 2019 até abril de 2020, substituído por Rolando de Souza, substituído por Paulo Maiurino. Márcio Nunes, foi nomeado nesta sexta (25), no novo diretor da PF.

Nunes, fará mudanças na Dicor, Diretoria de Combate ao Crime Organizado e à Corrupção, uma das áreas mais sensíveis da polícia. É uma divisão vinculada a equipe encarregada dos inquéritos de políticos que estão no cargo, inclusive o presidente da República. Não é difícil imaginar que o real motivo é o período eleitoral.

Postagens mais visitadas deste blog

Armas e ditadura | a classe dominante não quer "espírito santo" nem democracia

Feitiço contra o feiticeiro | Deltan é condenado a indenizar Lula por caso do PowerPoint

O mal travestido de religiosidade e o projeto de poder das mentes doentias do país