Cai o ministro que autorizou uso de sua imagem em exemplares da Bíblia e recebeu pastores lobistas

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, deixa o cargo em meio a denúncias envolvendo tráfico de influência de pastores de um suposto “gabinete paralelo. Os envolvidos cobravam propinas a prefeitos para facilitar liberação verbas da Educação. As propinas eram cobradas em espécie, barras de ouro e até distribuição de Bíblias.

Ribeiro admitiu nessa segunda-feira (28) que autorizou a reprodução de sua imagem em exemplares da Bíblia. Diante da repercussão na impressa e redes sociais, a bancada evangélica pressionou e exigiu a demissão do ministro para evitar mais desgastes na campanha de reeleição do presidente Jair Messias Bolsonaro.

A publicação das bíblias com a imagem do ministro e dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura foi revelada pelo jornal “O Estado de S. Paulo”. O surgimento desses novos fatos envolvendo o ministro de Educação contribuíram para sua saída do cargo. A corrupção no governo Bolsonaro será amplamente explorada pela oposição durante o período eleitoral.

Postagens mais visitadas deste blog

Armas e ditadura | a classe dominante não quer "espírito santo" nem democracia

Feitiço contra o feiticeiro | Deltan é condenado a indenizar Lula por caso do PowerPoint

O mal travestido de religiosidade e o projeto de poder das mentes doentias do país