Escola "bolsonarista" suspende professora por criticar Bolsonaro e helicóptero sobrevoa com bandeira

Militares

Há três anos, a Polícia Federal abriu dois inquéritos para investigar o ataque ao então candidato à presidência, Jair Bolsonaro Messias Bolsonaro. As investigações concluíram que Adélio agiu sozinho. Os sigilos telefônicos e bancários do agressor foram quebrados e nada foi encontrado de provas que o atentado contra Bolsonaro teve cúmplices ou mandantes.

No entanto, o caso Adelio voltou à tona nas redes através de Bolsonaro e seu filho Carlos Bolsonaro, em sinal de desespero para tentar inflamar a manifestação marcada para amanhã, dia 7 de setembro.

Postagens mais visitadas deste blog

Senador petista não segue o partido, vota a favor de Bolsonaro e revolta a esquerda

A tendência é que os fanáticos permaneçam com o mito e a elite migre para o 'justiceiro'

Suplente de Flávio abandona o barco bolsonarismo e pula para o lavajatismo de Moro